Power BI Gateway – Tudo o Que Você Precisa Saber ou Não

O Power BI é uma ferramenta de análise de dados que se conecta a muitas fontes de dados. Se a fonte de dados do Power BI for local, a conexão do serviço do Power BI baseado em nuvem e a fonte de dados local deve ser criada com um aplicativo chamado Gateway. Neste post, veremos o que é Gateway, quais são os tipos do gateway, suas diferenças, a instalação do gateway e o agendamento de atualização de um dataset com esse gateway.

 

O que é Gateway?

O Gateway cria a conexão entre a tecnologia de análise de dados baseada em nuvem do Power BI e a fonte de dados.  O Gateway é um aplicativo que pode ser instalado em qualquer servidor no domínio local.  Ele é responsável por criar a conexão e carregar os dados.

O diagrama abaixo mostra o papel do gateway na conexão;

 

Você sempre precisa de Gateway ?

Você não precisa de um gateway em todos os cenários. Somente se a fonte de dados estiver for local, você precisará de um gateway. Para fontes de dados on-line ou baseadas na nuvem, nenhum gateway é necessário. Por exemplo; Se você estiver recebendo dados do CRM Online, não precisa de um gateway. No entanto, se você estiver obtendo dados do banco de dados do SQL Server localizado em seu servidor de domínio local, então você precisa de um gateway. Para o SQL Azure, você não precisa de um gateway. No entanto, um banco de dados do SQL Server localizado na máquina virtual Azure é considerado como local e precisa de gateway.

 

Tipos de Gateway

O Gateway vem em dois modos diferentes: Modo Pessoal e On-premise. A diferença entre estes dois não é o plano pago ou de licenciamento. Ambos os gateways são de uso gratuito. A diferença é a maneira que você deseja usar o gateway. O modo pessoal é usado principalmente para uso individual, não para o time. O gateway OnPremise, por outro lado, deve ser escolhido quando você quer trabalhar em um ambiente colaborativo. Vejamos suas diferenças nos detalhes.

 

 

Gateway Personal

Quando você instala o gateway no modo pessoal, você pode usá-lo sozinho. Você pode conectá-lo a fontes de dados locais, como o SQL Server, Excel e outras fontes de dados. No entanto, o gateway instalado como modo pessoal suporta apenas um tipo de conexão: Importar dados ou atualizar agendamento (Nós falaremos sobre esses tipos de conexões em postagens próximas). Este gateway é usado apenas para Power BI; você não pode usá-lo para outras aplicações.

Como este gateway é pessoal, você não pode usá-lo em um cenário de desenvolvimento de equipe. Vários desenvolvedores não podem aproveitá-lo. Você pode criar relatórios e conectá-lo a esse gateway e compartilhá-lo com vários usuários. No entanto, apenas um desenvolvedor pode usá-lo. É por isso que é chamado de personal.

Instalar o personal mode e configurá-lo é mais fácil do que o On-premise. Quando você instala o gateway no modo pessoal, você não possui a opção de configuração para definir fontes de dados para ele. Não há lugar para configurá-lo após a instalação. Este modo de gateway é usado para analistas de negócios para facilitar a atualização e agendamento de relatórios.

 

Modo On-premises

É recomendado instalar o modo On-premises.  Este modo de instalação suporta o ambiente multi-desenvolvedor.  Vários desenvolvedores podem usar o gateway instalado.  Este tipo de gateway é construído para desenvolvimento de equipe; você pode ter um administrador, para adicionar fontes de dados e controlá-lo, existe uma seção de configuração central para gateways.

O gateway On-premise suporta não só o Power BI, mas também PowerApps, Azure Logic Apps e Microsoft Flow, que são outras tecnologias baseadas na nuvem da Microsoft.

O gateway On-premise também suporta todos os tipos de conexões do Power BI. Não são suportados apenas dados de importação ou atualização agendada, mas também DirectQuery e Live Connection são suportados.

Este tipo de gateway é, geralmente, para uso corporativo do Power BI, ou onde o Power BI precisa ser usado ao lado de outros aplicativos, como o PowerApps. Vários desenvolvedores podem trabalhar com o mesmo gateway se o administrador do gateway os autorizar a acessa-lo. Controle centralizado e monitoramento são os principais diferenciais nesse tipo de gateway.

 

Arquitetura do Gateway

Esses são os detalhes da arquitetura do gateway;

 

  1. Gateway instalado localmente. Durante a instalação as credenciais são armazenadas no serviço local do Power BI.
  2. As credenciais inseridas para a fonte de dados no Power BI são encriptadas, em seguida, armazenadas na nuvem. Apenas o gateway pode descriptografar as credenciais.
  3. O serviço do Power BI inicia a atualização do dataset, isso ocorre através de um serviço denominado Serviço de Scheduler no Power BI.
  4. O Serviço de Movimentação de Dados analisa a consulta e carrega a instância de barramento de serviço apropriada.
  5. É criada uma fila de solicitações no service bus. Gateway carrega as solicitações pendentes. 
  6. O Gateway obtém a consulta, executa-a na fonte de dados.
  7. Depois de obter o resultado, o gateway carrega os dados para o Power BI.

O que acontece na etapa 5 é muito importante. O gateway vai puxando as solicitações do service bus para verificar se há solicitações pendentes.

 

Coisas importantes a serem consideradas antes de instalar o gateway

O gateway pode ser instalado em qualquer máquina no domínio local. A seguir estão os requisitos para a instalação do gateway:

 

Requisitos mínimos:

.NET 4.5 Framework

Windows 7-8-10 / Windows Server 2008 R2 (ou mais recente) 64 bits

Recomendado:

8 Core CPU

8 GB Memória

Windows 2012 R2 (ou mais recente) 64 bits

 

Quantos gateways são necessários?

Um ponto de entrada deve ser suficiente para muitas situações. No entanto, há algumas casos que você obteria mais benefícios com mais gateways instalados. Por exemplo, se você tiver um gateway usado para atualização de dados agendada e o mesmo gateway for usado para uma Live connection, você terá um desempenho lento para a Live connection se houver uma atualização de dados agendada no processo nesse momento. Então, neste cenário, você pode considerar ter um gateway para o seu Live Connection e outro para uma atualização agendada.

O gateway deve ser instalado apenas no sistema operacional Windows de 64 bits.

Se você instalar o gateway no modo pessoal e, em seguida, você decide instalar o On-premise nessa máquina, você precisa limpar o registro. Este processo não é um processo fácil de executar. Minha recomendação é escolher a versão do gateway que você necessita nessa máquina com cuidado. Se é um servidor, então recomendo instalar um gateway On-premise, em vez do personal.

A máquina Gateway deve estar sempre online para atender consultas de atualização de dados.

Não instale o gateway em uma máquina que esteja conectada através de uma rede sem fio. O gateway irá executar mais lentamente em uma rede sem fio.

As portas que precisam estar abertas para o gateway são: TCP 443 (padrão), 5671, 5672, 9350 a 9354. O gateway não requer portas de entrada.

 

Instalando o Gateway

Você pode fazer o download do Gateway a partir deste link:

https://powerbi.microsoft.com/en-us/gateway/

Ou você pode encontrar o link quando você fez logon no serviço Power BI, em download; Gateway de dados;

Existe apenas um arquivo para download. No momento da instalação, você escolhe o tipo de gateway.

Depois de executar o arquivo de instalação, você verá a opção de escolher o tipo de gateway

Para este exemplo, vamos instalar a opção on-premise recomendada, porque ele suporta conexão on line e conexão do DirectQuery, sobre a qual falaremos em outras postagens.

Depois de escolher o tipo de gateway, o instalador baixa os arquivos remanescentes necessários, e então você pode continuar a instalação. Você precisa escolher a pasta para instalar o gateway e para este exemplo, manteremos a pasta padrão sem nenhuma alteração. O processo de instalação é simples. Após a instalação, você precisa registrar seu gateway.

Para registrar seu gateway, você precisa usar sua conta de e-mail do Power BI e, em seguida, efetuar o login.

 

Você pode então registrar um novo gateway ou migrar ou restaurar um gateway existente.

Selecione Registrar um novo gateway e continuar. Você precisará inserir duas informações importantes;

Nome do gateway: um nome que pode lembrar onde este gateway está instalado. Por exemplo, Reza-Vaio-Gateway ou algo assim.
Chave de recuperação: esta é uma chave muito importante e é necessária para recuperar o gateway mais tarde. Se quiser desinstalá-lo e instalar novamente, ou se quiser mover o gateway de uma máquina para outra sem o incômodo de alterar todas as conexões, mantenha o nome do gateway e a chave de recuperação em um local seguro.
Você também pode adicionar o gateway a um cluster de gateway existente. Esta opção é adicionada recentemente para ter alta disponibilidade através de gateways. Para este exemplo, deixe isso desmarcado.

Após registros bem-sucedidos do seu gateway, você deve ver uma mensagem que diz que o gateway está online e está pronto para ser executado.

Agora, você também pode ver o gateway no serviço do Power BI de sua conta. No Power BI Service, clique no ícone de configuração e, em seguida, clique em Gerenciar gateways.

Você deve ver todos os gateways configurados em sua conta. Na captura de tela abaixo, você pode ver que eu tenho quatro gateways na minha conta, e apenas um deles (Reza-Vaio-Gateway) que eu instalei agora está pronto para ser executado.

O que é diferente no Personal Mode

Se você instalar o gateway no personal mode, não precisa registrar o gateway com um nome e uma chave de recuperação. E você não pode ver seu gateway na seção Gerenciar Gateway no Serviço do Power BI. Como mencionado, isso é para facilitar a configuração e o uso.


Adicionando data sources

O próprio gateway é apenas para criar a conexão da nuvem ao domínio local. Para que seus conjuntos de dados sejam atualizados por esse gateway, é necessário adicionar Fontes de Dados. As fontes de dados são conexões para cada banco de dados local, arquivo, pasta, etc. que foram usados no Power BI como uma conexão.

Para adicionar fontes de dados ao gateway, primeiro você precisa verificar o arquivo Power BI e ver quais fontes de dados foram usadas. Uma maneira fácil de descobrir isso é abrir o arquivo * .pbix no Power BI Desktop.

Depois de abrir o arquivo, você clique em Edit Queries -> data source settings

Nas Configurações do data source, você verá todas as fontes de dados usadas no arquivo atual. Clique em cada fonte de dados, clique em Alterar fonte e copie o caminho para o arquivo.

Agora, você pode acessar a seção Serviço do Power BI, Gerenciar gateway, selecionar o gateway que instalamos anteriormente e, em seguida, clicar em Adicionar fonte de dados.

Na guia Adicionar fonte de dados, você precisa definir algumas opções. O nome da fonte de dados é importante apenas para lembrar mais facilmente. A primeira opção importante é; Tipo de fonte de dados. Neste exemplo, porque minha fonte é um arquivo do Excel, eu escolho Arquivo. No entanto, isso pode ser banco de dados do SQL Server ou qualquer outra fonte de dados.

Depois de escolher o tipo de fonte de dados, você precisa inserir outras configurações para essa fonte. Nós usamos o arquivo, então precisamos especificar o caminho completo do arquivo. Esse caminho deve ser o caminho do arquivo da máquina em que o gateway está instalado. Se o arquivo estiver em um caminho de pasta compartilhada, esse caminho deve ser acessado a partir da máquina em que o gateway está instalado. E este também deve ser o mesmo caminho que foi usado na configuração da fonte de dados do Power BI Desktop.

Você precisa inserir o nome de usuário e a senha para acessar a fonte de dados também. Nesse caso, porque usamos um arquivo, o nome de usuário e a senha devem ser nome de usuário e senha local que tenham acesso a essa fonte de dados da máquina em que o gateway está instalado. O nome de usuário sempre deve ter um nome de domínio levando-o (domínio \ nome de usuário) como a captura de tela abaixo.

Se tudo estiver configurado corretamente, você deve ver uma mensagem que menciona o Connection Successful.

 

Importante: se você tiver várias fontes, então você deve fazer esse processo para cada um deles.

 

Configurar a conexão de gateway para o conjunto de dados

Depois de adicionar as fontes de dados necessárias, você pode criar a conexão através do gateway. Você deve selecionar a fonte de dados que deseja configurar o Power BI Service. Você pode ir ao serviço Setting in Power BI Service

Clique em Datasets, encontre seu conjunto de dados e clique em Gateway Connection. Se o seu gateway tiver todas as fontes de dados necessárias para este conjunto de dados, você verá isso em Usar um gateway de dados e você pode selecioná-lo e, em seguida, clicar em Aplicar.

 

Agora você configurou seu conjunto de dados para atualizar por esse gateway. Agora você pode testá-lo com a atualização manual do seu conjunto de dados. Para atualizar manualmente seu conjunto de dados, primeiro encontre-o em seu espaço de trabalho.

 

Depois de encontrar seu conjunto de dados, você pode clicar em atualizar. Se tudo configurado corretamente, o último tempo de atualização deve atualizar sem ocorrer nenhum erro. Parabéns! Você configurou o gateway para o seu conjunto de dados.

 

Solução de problemas

Há alguns cenários que você pode enfrentar um problema ao configurar o gateway.

Aqui, eu os expliquei um a um;

Você não pode ver o gateway listado quando você acessa sua configuração de conjunto de dados. A razão é muito provavelmente porque você não adicionou todas as fontes de dados necessárias para esse conjunto de dados. Vá para o Power BI Desktop e verifique se você adicionou todas as fontes de dados ou não.

O Analysis Services Live Connection com gateway requer mais configuração que falaremos separadamente em outra seção.

O Gateway possui um sistema de registro que pode ser útil quando surge um problema. Você pode habilitar o registro adicional e acessar os logs do gateway.

Existem alguns problemas conhecidos com o gateway On-premise, que você pode ler mais sobre eles aqui: https://docs.microsoft.com/en-us/power-bi/service-gateway-onprem-tshoot
Existem alguns problemas conhecidos com gateway Personal, que você pode ler mais sobre eles aqui: https://docs.microsoft.com/en-us/power-bi/personal-gateway

 

Conclusão

Neste post, apresentamos o Gateway do Power BI. Gateway é uma conexão entre o conjunto de dados baseados em nuvem do Power BI e a fonte de dados no local. Mostramos que o gateway só é necessário para conexões locais. Existem dois modos para instalar gateway; Personal e On-premises. Você aprendeu que o gateway On-premises pode atender a mais de um desenvolvedor por vez, e pode ser usado para o Power BI, PowerApps e algumas outras aplicações e também oferece suporte a múltiplos tipos de conexão.

Passamos pela instalação e configuração do gateway e pela conexão de um conjunto de dados do Power BI. A chave para usar o gateway é adicionar todas as fontes de dados necessárias sob ele e, em seguida, mapeá-lo para o conjunto de dados. Nos próximos posts, vamos falar sobre os diferentes tipos de conexões no Power BI e como o gateway funciona com eles.

Fonte: Reza Rad

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *